O Brasil na imprensa italiana (Texto de Aécio Neves)

Publicado: 16/09/2009 em Política Internacional
Tags:, ,

Amigos,

Não é só de percalços diplomáticos que vive a relação entre Brasil e Itália. Parceiros de longa data, os italianos costumam ser bastante receptivos às boas ideias que surgem aqui em nosso país. O texto abaixo foi postado no www.aecioblog.com, e é uma reprodução de um artigo do Governador Aécio Neves publicado no jornal La Stampa, da Itália. Vale a pena conferir:

 

Brasil, as reformas envolvendo até os mais pobres

Aécio Neves

Só uma combinação de importantes fatores pode explicar por que o Brasil conseguiu sair da crise global antes do que se previa, ao contrário da maioria dos países do mundo. O mais importante deles é que temos feito, ao longo dos últimos 15 anos, as reformas econômicas estruturais necessárias para assegurar a estabilidade, para reforçar o mercado financeiro, para modernizar o mercado de capitais e estimular a expansão significativa do mercado nacional, permitindo o acesso ao consumo de um importante segmento da população, com poder aquisitivo limitado.

Graças ao fim do dramático ciclo inflacionário e da nova moeda nacional, o país adotou as ferramentas que nos permitiu progredir rapidamente, como o regime de câmbio variável, o foco das contas públicas, a lei de responsabilidade fiscal, a supervisão independente e eficiente dos órgãos de controle público e os principais programas de transferência e melhora da distribuição de renda. A pobreza diminuiu; o mercado cresceu; aumentaram os investimentos internacionais; a produção interna se expandiu e tem sido diversificada; as reservas internacionais superaram recordes anteriores e os riscos foram reduzidos significativamente. Tudo isto tem gerado uma nova credibilidade e confiança no Brasil. Apesar de tudo, sofremos com a crise. O PIB brasileiro – que cresceu a taxas superiores a 5% ao ano – sofreu uma queda acentuada no último trimestre de 2008, devido à forte redução das exportações e da produção industrial, principalmente de bens de capital e bens de consumo duráveis.

Neste ano, espera-se que a variação acumulada do PIB seja entre -1% e 0. Em 2010, entretanto, a projeção de crescimento é estimada entre 4,5% e 5%, abaixo da tendência pré-crise, mas muito superior ao que se estima para as economias industrializadas e para outros países latino-americanos.

O recente terremoto econômico mostrou que a crise, em poucos dias, pode afetar as empresas que pareciam sólidas, feitas para durarem séculos, e evidenciou de forma dramática a fragilidade das instituições humanas. Por uma nova visão de mundo ou forçados por uma crise que virá, teremos que, em qualquer caso, atender a um cenário complexo – e inédito – a interdependência entre as nações. Este cenário exigiria, para todos os povos, não tanto os novos acordos comerciais, quanto um crescente compartilhamento de responsabilidades: temos um imperativo ético, moral e de sobrevivência de buscar uma verdadeira e necessária solidariedade global. Ou construimos isso fora dos limites tradicionais ou, em última análise, naufragaremos todos juntos, por causa da fragilidade do ambiente e do déficit social do mundo que estamos construindo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s